central-de-consultas-logotipo-19-anos

Menopausa: quais são os sintomas e como reduzi-los?

O QUE É MENOPAUSA?

 

A menopausa é o último ciclo menstrual da mulher, que acontece entre os 45 e 55 anos, geralmente. Caso ocorra antes dos 40 anos, é considerada menopausa precoce ou insuficiência ovariana prematura (IOP).

 

As mulheres nascem com um número específico de folículos (células germinativas dos ovários que armazenam os óvulos). Desde a menarca (primeira menstruação), a cada mês, um folículo rompe e libera um óvulo. 

 

Quando a reserva folicular (e, consequentemente, reserva ovariana) entra em escassez, progesterona e estrogênio caem drasticamente no organismo. Isso ocorre porque as células germinativas são responsáveis pela produção dos hormônios femininos. 

 

Esse período de mudanças hormonais é chamado de climatério e é dividido em três partes. A menopausa é a etapa intermediária, quando a reserva ovariana se esgotou completamente, marcando o fim da fase reprodutiva da mulher.

 

Continuando a leitura, você vai saber mais sobre:

  • Quais são as fases do climatério?
  • Quais são os sintomas da menopausa?
  • O que causa menopausa precoce?
  • Como conformar o início da menopausa?
  • O que fazer quando a menopausa chega?

 

Lembre-se que a melhor maneira de lidar com mudanças hormonais e alterações no ciclo menstrual, é fazendo consultas e exames regulares. Na Central de Consultas, você pode agendar atendimentos de Ginecologia e Endocrinologia pelo site centraldeconsultas.med.br ou pelo telefone e Whatsapp (51) 3227-1515.

 

QUAIS SÃO AS FASES DO CLIMATÉRIO?

 

O climatério é dividido em três etapas: perimenopausa, menopausa e pós-menopausa

 

Na perimenopausa surgem os primeiros sintomas, mas a menstruação ainda não cessou. Essa é uma transição entre a fase reprodutiva e não reprodutiva e pode durar entre 4 e 8 anos. 

 

Quando a mulher está a mais de 1 ano sem menstruar, é considerado que ela entrou na fase da menopausa. Portanto, a reserva ovariana acabou. Como não é possível produzir novos folículos e óvulos, o ciclo reprodutivo feminino é encerrado aqui.

 

Por sua vez, o período logo após o fim da menstruação é chamado de pós-menopausa, quando os sintomas diminuem. A duração dessa etapa pode ser de até 10 anos.

 

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA MENOPAUSA?

 

Os sintomas de menopausa surgem no início do climatério, na perimenopausa. A intensidade dos sinais muda em cada organismo. Mas, é comum que eles aumentem nos primeiros meses ou anos e comecem a diminuir na pós-menopausa. A duração também é variável para cada mulher, podendo ser de 6 meses até mais de 10 anos. 

 

Geralmente, os principais sintomas da menopausa são:

  • Irregularidade menstrual durante a perimenopausa;
  • Fogacho (ondas de calor repentinas);
  • Sudorese (incluindo suor noturno);
  • Problemas urinários: dor e dificuldade na micção, incontinência urinária e maiores riscos de infecção urinária;
  • Alterações nos órgãos genitais: atrofia e ressecamento vaginal, redução no tamanho do útero e dos ovários, maiores riscos de infecções ginecológicas;
  • Desaceleração do metabolismo: perda de massa muscular, aumento de peso não intencional e concentração de gordura corporal no abdômen;
  • Mudanças no padrão do sono: dificuldade para dormir, sono interrompido, insônia, piora na qualidade do sono;
  • Instabilidade emocional: mudanças repentinas de humor, irritabilidade, melancolia, mau humor, nervosismo, desânimo; 
  • Redução da libido;
  • Perda de colágeno da pele, das unhas e dos cabelos;
  • Dor, redução de tamanho e perda da firmeza das mamas;
  • Dor de cabeça e piora da enxaqueca menstrual;
  • Perda de concentração;
  • Cansaço muscular;
  • Perda de massa óssea;
  • Maiores riscos de doenças cardiovasculares.

 

Antes de cessar completamente, o ciclo menstrual fica irregular no início do climatério. É comum que a menstruação na perimenopausa falhe alguns meses. Porém, o fluxo pode vir mais intenso em algum dos últimos ciclos. É possível que as últimas menstruações também sejam acompanhadas por enxaquecas mais intensas.

 

Na perimenopausa podem ocorrer as primeiras ondas de calor repentinas no rosto, pescoço e tronco. Chamadas de fogacho, são acompanhadas por suor e rubor na face, geralmente. Entretanto, é possível que algumas mulheres tenham palpitação no coração, vertigens e sensação de sufocamento e falta de ar. As ondas de calor podem ocorrer a qualquer momento do dia.

 

Outro sintoma do climatério bastante comum é a perda de colágeno. A pele fica mais fina, flácida, seca, sem elasticidade e frágil. As unhas também ficam fracas, finas e quebradiças e os fios de cabelo afinam e caem em maior quantidade

 

A redução do estrogênio também resulta em atrofia vaginal (vaginite atrófica), o que causa ressecamento e coceira na região. Além disso, a falta de lubrificação natural provoca dor e ardência durante as relações sexuais. Na menopausa, ainda há a enfraquecimento dos músculos pélvicos (também causado pela falta de estrogênio). Isso aumenta os riscos de infecções urinárias e ginecológicas.

 

Os desequilíbrios hormonais também desaceleram o metabolismo. Por isso, é mais difícil ganhar massa magra e perder peso durante a menopausa. Ainda, ocorrem mudanças na distribuição de gordura corporal, que fica concentrada no abdômen nessa fase da vida. Também, há alterações nos ossos (perda de massa óssea ou osteopenia), que, em casos graves, pode resultar em osteoporose no futuro.

 

Leia mais: O que causa coceira vaginal e como tratar o problema

 

O QUE CAUSA MENOPAUSA PRECOCE?

 

A idade da menopausa não é igual para todas as mulheres. Contudo, o mais comum é que o último ciclo menstrual ocorra entre os 45 e 55 anos. A menopausa precoce é considerada quando os ovários entram em falência muito antes da faixa etária média. 

 

Existem algumas razões para a menopausa antes dos 40 anos, como:

  • Cirurgia de remoção dos dois ovários;
  • Cirurgia de remoção do útero
  • Ligadura tubária;
  • Tratamentos de quimioterapia ou radioterapia
  • Hereditariedade, principalmente mãe ou irmã com histórico de menopausa precoce;
  • Doença inflamatória pélvica (DIP);
  • Endometriose;
  • Doenças autoimunes;
  • Doenças autossômicas;
  • Distúrbios hormonais (tireoidite de Hashimoto);
  • Distúrbios metabólicos (diabetes e insuficiência adrenal);
  • Anomalias nos cromossomos sexuais (síndrome de Turner, síndrome do cromossomo X frágil, trissomia do X e translocação cromossômica);
  • Infecções virais (caxumba, malária e varicela);
  • Infecções bacterinas (shigelose);
  • Tabagismo;
  • Desnutrição;
  • Exposição à radiação, produtos químicos e pesticidas.

 

Os sintomas de menopausa precoce são semelhantes aos da menopausa após os 45 anos, apenas ocorrem mais cedo. Por isso, fique atenta à irregularidade menstrual, fogachos, suores noturnos, ressecamento vaginal, alterações no sono e mudanças de humor repentinas. Caso você apresente esses sinais antes dos 40 anos, procure um médico ginecologista.

 

Na Central de Consultas, você agenda um atendimento ginecológico no dia e horário de sua preferência. Também, pode fazer exames para confirmar o diagnóstico da menopausa e ficar preparada para viver essa nova fase com saúde. Marque suas consultas e exames pelo site centraldeconsultas.med.br ou telefone e Whatsapp (51) 3227-1515.

 

COMO CONFIRMAR O INÍCIO DA MENOPAUSA?

 

Geralmente, a chegada da menopausa é fácil de identificar, principalmente se acontece depois dos 45 anos. Basta ficar atenta aos sintomas do climatério e a interrupção da menstruação. 

 

Entretanto, também é possível confirmar o diagnóstico da menopausa com exames de sangue. Nesses casos, são avaliados os hormônios relacionados à função ovariana (hormônio luteinizante, hormônio folículo estimulante, estradiol, antimülleriano etc.). 

 

Os exames também são importantes para mulheres que apresentam sintomas de menopausa precocemente. Assim, é possível descartar outras condições que possam estar afetando a menstruação. 

 

De qualquer forma, quando surgirem sintomas de climatério e alterações no ciclo menstrual, é necessário consultar um ginecologista. 

 

Leia mais: Principais exames para fazer na menopausa

 

O QUE FAZER QUANDO A MENOPAUSA CHEGA?

 

Os sintomas de menopausa podem ser amenizados com alguns tratamentos ou mudanças na rotina. Para isso, a mulher deve procurar um ginecologista quando os primeiros sinais do climatério surgirem. Lembre-se que a automedicação nunca é recomendada. Só um médico pode indicar o tratamento adequado, sem riscos à saúde.

 

Abaixo, confira as principais medidas que podem ser tomadas para reduzir os sintomas e consequências da menopausa.

 

Terapia de reposição hormonal (TRH)

 

A terapia de reposição hormonal (TRH) pode ser feita com medicamentos contendo progesterona, estrogênio ou ambos. O objetivo desse tratamento é aliviar sintomas como fogachos, instabilidade emocional, distúrbios urinários, atrofia vaginal e perda de massa óssea. Além disso, pode contribuir para a prevenção de osteoporose e câncer do colo do útero.

 

A TRH pode ser administrada de diferentes formas, como, por exemplo:

  • Comprimidos orais;
  • Implantes subcutâneos;
  • Géis, cremes, loções, sprays e adesivos transdérmicos;
  • Anéis e supositórios vaginais.

 

Contudo, qualquer terapia hormonal só deve ser iniciada com prescrição e acompanhamento médico. Isso porque a TRH é contraindicada para mulheres com obesidade, hipertensão e diabetes. Também, não é recomendada a quem tem histórico de câncer de mama ou endométrio, doenças hepáticas, infarto e acidente vascular cerebral (AVC).

 

Além disso, a terapia hormonal pode trazer riscos à saúde se for realizada de maneira incorreta, como, por exemplo: 

  • Câncer de endométrio; 
  • Câncer de mama; 
  • Câncer colorretal;
  • Doenças coronariana; 
  • Trombose venosa profunda e embolia pulmonar; 
  • Acidente vascular cerebral;
  • Pedra na vesícula (cálculo biliar); 
  • Aumento do colesterol LDL;
  • Retorno dos sintomas da endometriose (para mulheres que tinham esse distúrbio anteriormente).

 

A terapia de reposição hormonal também pode causar alguns efeitos colaterais mais leves. Por exemplo, retenção de líquido, dor de cabeça e nas mamas e sangramento vaginal

 

Portanto, só um médico pode aconselhar o uso de qualquer remédio para menopausa. Para isso, o profissional faz exames para certificar-se de que os medicamentos podem ser utilizados com segurança. Além disso, também avalia o tempo de duração do tratamento.  

 

Outros tratamentos

 

Para mulheres que não têm indicação ou não querem fazer reposição hormonal, é possível reduzir alguns sintomas de forma natural. Para isso, é preciso:

  • Manter uma dieta saudável (ingerir alimentos que contêm cálcio, proteína, vitamina B, ômega-3, além de oleaginosas, sementes, frutas e legumes); 
  • Reduzir o consumo de álcool
  • Abandonar o cigarro
  • Praticar atividade física pelo menos 3 vezes na semana; 
  • Fazer consultas e exames ginecológicos regularmente

 

Para diminuir o desconforto provocado pelas ondas de calor, é recomendado manter-se hidratada, usar roupas leves, evitar aglomerações e deixar os ambientes bem arejados. Também é indicado reduzir o consumo de alimentos muito quentes e condimentados.

 

para evitar dores nas relações sexuais (provocadas pelo ressecamento vaginal), é possível usar lubrificantes a base de água.

 

Por sua vez, a redução de colágeno pode ser amenizada com tratamento dermatológico, com comprimidos e cosméticos. Mas, lembre-se que só um médico pode recomendar os produtos adequados, que não causem danos à pele, cabelos e unhas. 

 

Na Central de Consultas, você também pode agendar um atendimento de Dermatologia pelo site centraldeconsultas.med.br ou telefone e Whatsapp (51) 3227-1515.

 

Consultas, exames e prevenção de doenças

 

Durante a menopausa, aumentam os riscos de desenvolvimento de diversas doenças, algumas delas crônicas, como:

  • Câncer de mama; 
  • Câncer do colo do útero; 
  • Câncer de ovário; 
  • Câncer de endométrio; 
  • Câncer colorretal; 
  • Câncer de fígado. 

 

Leia mais: Como prevenir o câncer de mama e o câncer do colo do útero?

Cisto no ovário: quais tipos existem e quando pode ser câncer?

 

Além disso, há também maiores riscos de doença coronariana, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral e osteoporose

 

Por isso, é importante fazer consultas médicas de rotina e exames preventivos como mamografia e citopatológico. Além disso, outros exames para avaliação cardíaca (ecocardiograma) ou avaliação óssea (densitometria óssea) são essenciais.

 

Na menopausa, outro incômodo que pode surgir são as mudanças repentinas de humor. A instabilidade emocional atrapalha as atividades do seu dia a dia e pode causar problemas como ansiedade, depressão e estresse. Então, recorrer a psicoterapia é uma opção para cuidar da saúde mental nessa nova fase da vida.

 

Na Central de Consultas, você pode cuidar da sua saúde na menopausa com várias especialidades médicas, como: 

  • Ginecologia
  • Endocrinologia
  • Nutrição
  • Psicologia
  • Psiquiatria
  • Dermatologia
  • Cardiologia
  • Traumatologia;
  • Reumatologia. 

 

Marque sua consulta e fique bem preparada para essa nova etapa da vida. 

 

Você também pode fazer os seus exames laboratoriais, ginecológicos (mamografia bilateral, mamografia digital, citopatológico), ecocardiogramas e densitometria óssea. Faça o agendamento pelo site centraldeconsultas.med.br ou pelo telefone e Whatsapp (51) 3227-1515 agora mesmo.

Aproveite também para conhecer a rede de benefícios Dr. Central. Faça sua assinatura com apenas R$30,00 mensais e ganhe descontos exclusivos em consultas presenciais, telemedicina, exames e compra de medicamentos em farmácias parceiras. Para saber mais, basta ligar para (51) 3092-6060 ou mandar um Whatsapp para (51) 98977-2610.

Compartilhar: